Como seria destruir e descriar todos os julgamentos cruéis que você faz quando se olha no espelho?



Desde pequenos somos condicionados a

acreditar que o nosso corpo é motivo de vergonha, de constrangimento, de culpa. Seja por alguns preceitos religiosos que o associam ao pecado e à parte mundana de nós que se opõe aos valores espirituais ou à mídia que nos impõe padrões inalcançáveis e enlatados de “beleza” e “perfeição”. Acontece que nosso corpo não nos foi dado por acaso: ele é o veículo essencial para que nosso espírito possa se manifestar na terceira dimensão. Graças a ele, podemos abraçar quem amamos, provar os mais deliciosos sabores, apreciar as mais belas paisagens. Podemos ouvir as mais lindas canções, ir aos mais incríveis lugares e realizar todas as experiências que a nossa alma anseia viver. Graças a ele que tão generosamente nos abriga e suporta, podemos viver a incrível aventura de estar neste planeta, interagindo com a terra, a água, o fogo e o ar. E a partir desta perspectiva, ele é nada menos que perfeito. E além de tudo isso, ele ainda procura conversar conosco e nos alertar sobre tudo o que se passa dentro e fora de nós, em uma tentativa de interação que tornaria a nossa jornada mais segura e suave, mas na maioria das vezes não é ouvido. Então, na próxima vez que se olhar no espelho, lembre-se de agradecer à sua casa primordial, que todos os dias luta para estar saudável e pronto para que você possa correr atrás de todos os seus sonhos e se habitue a olhar para ele com todo o respeito, gratidão e generosidade que ele (e você) merece.

39 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo